Revisitando os Preds, parte 1 - Bastidores, Produtividade e Os Feitos da Equipe.


Equipe venceu seu primeiro Presidents Trophy

Vamos revisitar tudo que aconteceu na temporada 2017/18, dividido em 3 partes, o texto traz de volta os movimentos feitos nos bastidores, o que deu certo, o que deu errado. Veremos os desempenhos positivos e negativos dos jogadores. Foi uma temporada de sucesso ou fracasso? Você poderá tirar suas conclusões aqui mesmo. Nesta primeira parte veremos os movimentos feitos por Poile, a produtividade de alguns jogadores, e as marcas atingidas pela franquia e o desempenho da equipe.


O contrato de $4.250 por 7 anos de Arvy, certamente é o movimento mais acertado nos bastidores.

Na pré-temporada, o GM David Poile fez boas renovações, como a de Viktor Arvidsson, por exemplo, um contrato de 7 anos e $4.250 milhões. Também assinou com o agente livre Nick Bonino por 4 anos e $4.100 milhões, e Scott Hartnell, também agente livre, por 1 ano e um salário de 1 milhão de dólares. Bonino chegaria para atuar na segunda linha, onde esteve no inicio da temporada com os Preds, mas até a chegada de Turris, que assumiu o centro da segunda linha. Bonino foi o pilar da terceira linha, ao lado de Hartnell e Calle Järnkrok, com ótimas exibições e uma temporada bastante regular, principalmente defensivamente. Jogador ganha destaque por sua dedicação defensiva nas três zonas do gelo.


A joia que caiu no colo da franquia do Tennessee

No draft da NHL, os Predators esperavam pelo inesperado, e de forma surpreendente, o único sniper restante após as primeiras escolhas, Eeli Tolvanen, foi apenas a trigésima escolha geral para os Preds. Tolvanen figurava entre os 10 melhores prospectos das melhores listas possíveis para a escolha do último draft, mas surpreendentemente o finlandês, que completou apenas 19 anos no mês de abril, caiu no colo do time do Tennessee. Tanta surpresa não é a toa, pois além de um grande finalizador, Tolvanen é um jogador muito incisivo e decisivo, capaz de criar jogadas e ainda finalizar com precisão. Fatal e com um repertório bem variado, dispara de qualquer lugar do gelo. Ele foi designado para à KHL e foi jogar pelo Jokerit, time da cidade de Helsinki na Finlândia, e lá o garoto fez história ao se tornar o maior pontuador da liga entre os jogadores de 19 anos quebrando o recorde que era de Evgney Kuznetsov.

“Ser draftado tarde me motivou” disse Tolvanen, após ser escolhido pelos Preds. “Mas isso não importa, porquê Nashville é o melhor lugar para se jogar hóquei… a equipe e a torcida são demais”. Tolvanen ainda foi eleito duas vezes o novato do mês e mais seis vezes o novato da semana, além de ser nomeado para o KHL All Star Game, também foi o principal pontuador da seleção da Finlândia durante os Jogos Olímpicos de Inverno que aconteceu em PyeongChang na Coréia do Sul assim como excelente exibição e melhor jogador Finlandês no World Juniors U20 que foi disputado em Buffalo no início do ano. Claro que tudo isso não poderia e não seria inteligente deixar de integrar o grande garoto ao nosso grupo de jogadores, afinal, são características perfeitas para nosso estilo de hockey, velóz e em transição envolvente. Fez alguns jogos ao fim da temporada regular, mas falaremos mais para frente.


Precisando comprovar que não era apenas "efeito cinderela" nos últimos playoffs quando chegamos à nossa primeira Stanley Cup, ainda encontrávamos o melhor time no início da temporada com derrotas nos dois primeiros jogos da temporada para o Boston Bruins e Penguins e duas vitórias seguidas viriam posteriormente e seguiriam com uma certa oscilação, com um overall de 8-5-2 até a impactuante e grande troca que o GM David Poile fez. As perguntas eram frequentes, o time manteria o bom hóquei apresentado na última pós-temporada? Peças como Pontus Aberg (hoje no Edmonton Oilers) e Kevin Fiala manteriam seu rendimento? De certo que Kyle Turris chegaria e o rendimento de Kevin Fiala foi imediatamente outro.

Kyle Turris não precisou de tempo para adaptação.