Esculhambação Nos Bastidores; Duas Grandes Vitórias e Varridos em Back-to-Back

Antes de irmos ao jogos, vamos falar dos bastidores, que estiveram bem movimentados nos últimos dias. Os movimentos feitos por David Poile e Peter Laviolette simplesmente desapontaram o torcedor. No gelo, contra Arizona, fomos bem, apesar de sairmos atrás do placar conseguimos cinco gols. Já contra os Stars a coisa foi bem complicada em um jogo bastante movimentado para os dois lados. A derrota para St. Louis onde jogamos hockey apenas nos 20 minutos finais. No sábado voltamos pra casa em um jogo de 9 gols perdemos no overtime contra o mesmo St. Louis Blues em Back-to-back.


A bagunça começa quando eles decidem que não precisam mais dos serviços de Anthony Bitetto e o defensor caiu para waivers e hoje se encontra em Minnesota. Tony B., era de longe o companheiro mais regular de Dan Hamhuis no terceiro par, ele jogou com responsabilidade, poucos erros, seguro, fazendo o simples, melhorou consideravelmente seu jogo físico e vencias batalhas, melhorando desde a última temporada, quando tínhamos o chumbo tanto no gelo quanto no salary cap Alexei Emelin, o que tirava muito tempo de gelo de Bitetto. Você vê Tony se despedindo, no entanto Matt Irwin continua errando sem parar, sem contribuir. Yannick Weber não tem comprometido tanto assim, mas ainda assim não se compara a Anthony Bitetto.

The Penalty Box Man (Foto: John Russell/via Getty Images)

Eis então o momento que me deixou em estado de nervo incontrolável. Trouxemos de volta o "Penalty Box Man", Cody McLeod. Tudo bem, precisamos de um enforcer, melhorar tanto nosso power play quanto nosso penalty kill e com Watson e Rinaldo fora, não tínhamos ninguém com essa característica em nosso depth, mas podíamos fazer um movimento melhor num enforcer, qualquer outra opção mesmo sem olhar a quem seria literalmente uma escolha de sucesso. McLeod não tem nada à oferecer a não ser brigas, confusão e tumultos, comete falhas grotescas comprometendo dentro do gelo, sem contar o enorme tempo que ele deixará nossos rapazes em desvantagem numérica. Além disso, ele toma o lugar de Rocco Grimaldi no lineup, que tem sido muito regular durante toda a temporada, cria muitos turnovers, um dos líderes de equipe sobre isso, ele tem uma perseguição de disco implacável e velocidade. Tudo isso que Rocco propõe no gelo, foi perdido, toda sua dedicação e esforço perde espaço para todas as bizarrices de McLeod. Até hoje eu me sinto indignado, revoltado e isso não vai passar, pois cada vez que eu olhar para o gelo e vê-lo patinando será além de tudo doloroso.


Nós trocamos nossa pick de segunda rodada do Draft deste ano por Brian Boyle de 34 anos do New Jersey Devils, é uma grande pessoa, um bom homem, mas é um jogador de 20 pontos por temporada, creio que oferecemos mais do que realmente vale Boyle. Não tenho nada contra sua chegada, apenas quanto ao valor pago, penso que uma pick de terceira estaria de ótimo tamanho. Mas é importante lembrar que temporada passada tínhamos Scott Hatnell com a mesma idade, e entre os dois, sem dúvida Harty seria muito melhor para nós.


Por último fizemos uma agora um movimento sem sentido de forma a tirar um pouco da profundidade e poder ofensivo do Milwaukee Admirals. O jovem Emil Pettersson de 24 anos se foi, sendo o líder da equipe, All-Star na última temporada, excelente criador de jogadas e nunca teve uma chance real em Nashville. Na troca com o Arizona Coyotes, trouxemos Adam Helewka e Laurent Dauphin. Embora Helewaa seja um bom rapaz, e pode crescer, Pettersson era muito consistente e muio dedicado, eu me sentiria rejeitado. Quanto a Laurent Dauphin, o jogador era pretendido por outras franquias, mas ninguém o quis, não sei qual motivo.


Arizona Coyotes 2 - 5 Nashville Predators (05/02, Nashville, TN)

Gols (-) * Assistências (➡️)*

- Smith (15) ➡️ Ekholm (32) Ellis (20)

- Forsberg PPG (19) ➡️ Josi (30) Johansen (36)

- Ellis (6) ➡️ Gaudreau (1) Hartman (9)

- Järnkrok (10) ➡️ Sissons (14) Josi (31)

- Josi ENG (10) ➡️ Järnkrok (10)


Não conseguíamos ir bem na zona ofensiva e praticamente Pekka Rinne evitou um placar mais largo no primeiro período, pois Vinnie Hinostroza aproveitou contra ataque e a sobra na slot abrindo o placar. O segundo foi um massacre com 19 tiros dos Preds contra 6 dos Yotes e todo este ímpeto nos renderam três gols, com Craig Smith aproveitando rebote, Filip Forsberg no PP e Ryan Ellis também aproveita um rebote. Foi o primeiro gol em power play em 10 jogs e um recorde 0-34 antes do jogo começar e ridículos 12,9% de aproveitamento. No terceiro rara infelicidade de Pekka e gol em wrap-around de Stepan. No terceiro contiuamos agressivos e convertemos com Calle Järnkrok e Roman Josi no Empty Net.

Ryan Ellis eleito a primeira estrela do jogo (Foto: John Russell/via Getty Images)

Roman Josi: "Fomos para baixo após o primeiro, mas tivemos algumas boas chances, algumas boas aparências e continumos pressionando. Especialmente no segundo, tivemos muitas chances e fomos recompensados ​​com alguns gols".


Dallas Stars 2 - 3 Nashville Predators - F/OT (07/02, Nashville, TN)

Gols (-)* Assistências (➡️) *

- Craig Smith (16) ➡️ Fiala (21) Weber (6)