Apatia, Soberba e Penalidades na Derrota Para os Oilers

Uma derrota pra lá de frustrante diante nossa torcida, os Oilers vieram com uma estratégia e uma postura diferente em relação aos últimos duelos entre eles. Nós sentimos isso, nos desesperamos e desorganizamos, além de uma apatia absurda, subestimamos o adversário achando que venceríamos a qualquer momento. Saros não teve culpa alguma, pois esta noite ele não teve um time à sua frente.

Hartman assim como os outros, não tiveram foco (Foto: John Rusell/via Getty Images)

Com Fiala e Järnkrok na quarta linha os Oilers iniciam o jogo com bastante velocidade e intensidade, dando trabalho logo cedo ao nosso querido Juice. Havia cinco minutos jogados sem um disparo nosso, mal passávamos da zona neutra e os Oilers era pressão em todos aspectos do jogo e Saros fazia milagres já evitando o pior assim de cara. Nosso primeiro tiro à gol foi um tiro completamente despretensioso, mostrando que teríamos problemas para o jogo, não que os Oilers jogavam bem, mas sim porque nossa equipe se postava extremamente passiva. Inauguramos a caixa, e minha nossa, que coisa desorganizada nossa formação PK, desespero já tomou conta de nossos jogares, houve uma hora que Josi tentou afastar o puck a todo custo e errou o disco, entregou de graça para o adversário, mesmo assim passamos por essa e no mesmo segundo ganhamos um vantagem no gelo que não deu em nada, pior, nos últimos segundos com um homem a mais no gelo, Ryan Ellis escorrega na zona ofensiva gerando um contra ataque para Edmonton, enquanto faziam a transição em velocidade e com certa facilidade; voltamos ao full strenght e a rápida torca de passes, fez nossos jogadores entrarem em parafuso, perdidos, naquela coisa de cada um por sí, nisso, foram atraídos 4 dos nossos jogadores ao mesmo tempo para a borda do gelo na tentativa desesperada de roubar o puck, o que deixou pelo menos 2 jogadores dos visitantes com liberdade e tempo até para pensar no que fariam após enfim quebrarem o tabu, não foi preciso muito para os Oilers abrirem o placar com Drake Caggiula completamente livre, em um erro grotesco de marcação, movimentação e senso de posicionamento na zona defensiva. Oi Oilers não faziam uma apresentação de grande esforço, apenas deixando as coisas acontecerem conforme a nova estratégia e postura de nos atacar apenas impondo sua proposta. Diante de nós, enquanto nós estávamos sem foco, sem concentração, sem jogar como jogamos. Kevin Fiala faz uma bela jogada behind the net e um wrap-around muito bonito que parou na trave. Eram 14 minutos jogados e 4 tiros disparados pelos Preds. Vimos neste tenebroso período que os Oilers conduziam o jogo sem dificuldades controlando as acões perante um Preds claramente apático e soberbo, e sem saber lidar com a as mudanças do oponente para nos enfrentar. Somando à isso, apatia, falta de controle psicológico, mental, Indisciplina explicita, que me deixaram extremamente puto. Too many men e a penalidade mais estúpida. Com tudo visto, Odin castiga quem faz uma palhaçada como essas, um aglomerado desesperado., Subestimar qualquer adversário independente da fase do oponente, é uma burrice, mesmo coma 13 vitórias seguidas sobre o time de Alberta, na verdade para o que vimos hoje, deveria ser o contrário, ao invés disso, deveriam entrar com pegada par continuar o que era nossa maior sequencia vitórias sobre uma mesma equipe.


O segundo período iniciou com os Oilers tomando conta da nossa zona de defesa, mal conseguíamos chegar à zona neutra, cinco minutos jogados do período e somando à isso cometemos uma penalidade e que terminou no gol do Draisaitl ampliando o marcador. Continuando essa péssima apresentação, Joey penalizado com um double minor por high sticking e lá vamos nós outra vez, porém, suportamos bem agora, ainda tivemos uma chance shorthanded com Forsberg para Koskinen fazer grande defesa, foi nosso primeiro tiro no período e passamos pelo double minor. São 30 minutos jogados e demos apenas 8 tiros ao todo no jogo até aqui. Após esse momento em baixa no jogo, nós melhoramos, não o suficiente, mas pelo menos evitamos que os Oilers entrasse em nossa zona defensiva e restando 5 minutos para o fim do período ganhamos uma oportunidade de power play, mas passamos em branco. Mais uma vantagem numérica no final do período e Filip Forsberg capitaliza aos em grande passe de Joey. Mas quando o puck cai no circulo central para o reinício, McDavid leva 7 segundos para dar a resposta e dar 2 em vantagem para os visitantes. Antes do período terminar deu tempo de cometermos um too many men, e o segundo se encerra em 15-11 Oilers shoots.


Matamos a penalidade oriunda do período anterior no mesmo instante Hartman comete tripping para outra desvantagem no gelo, Saros fez um milagre a queima roupa e matamos a penalidade. Draisaitl amplia para os Oilers e pouco depois respondemos no melhor estilo JOFA, grande trabalho da nossa primeira linha e Forsberg diminui o marcador. Tudo que precisamos é jogar, quando fizemos, conseguimos criar perigo, conseguimos dois gols. Roman Josi acerta a trave de Koskinen. Metade do período e registrávamos apenas dois tiros à gol, quando Weber ia para jaula dando o quinto power play aos Oilers que virou um 4-on-4 e nada aconteceu. Em seguida, os Oilers cometem penalidade nós tiramos Saros para um 6-on-4 ousado, em particular odeio, pois nossa taxa de sucesso neste movimento é extremamente baixa, mas essa medida um tanto quanto desesperada não me irritou pela primeira vez, pelo contrário, mesmo ainda restando menos de 5 minutos para o fim, era um risco realmente válido e fomos compensados após um dos poucos trabalhos feitos com algum objetivo e efetividade. Filip Forsberg anotaria seu terceiro gol no jogo para diminuir o jogo restando 4 minutos por jogar. Na tentativa de empatar o jogo com a ajuda da Bridgestone Arena que estava em chamas, e os jogadores foram tomados por uma ansiedade e vimos erros de passes, decisões erradas e precipitadas, um time que abriu mão de tudo para tentar o tudo ou nada, ninguém cumpria suas funções à essa altura e não havia nada que se parecesse um time de hockey, na ânsia de tentar o gol de empate, quando conseguimos uma transição, Kevin Fiala novamente com um erro pra lá de ridículo, desses que ele tem cometido desde o início da temporada, escorregando no gelo, não conseguindo dominar um passe, furando feio o disco na tentativa do disparo, perdendo não um ou dois gols, mais que isso, simplesmente incabíveis, inacreditáveis, coisa que nem no nas divisões inferiores no hockey europeu costumamos ver e partir da bobagem do Fiala ao não dominar um passe simples, Drake Caggiula anota o gol da vitória para os visitantes no empty net, final 5-3 Oilers.


GAMESTATS

SOG - EDM 35, NSH 27

BLKS - EDM 20, NSH 10

FOW - EDM 26, NSH 31

HITS - EDM 12, NSH 13

PP - EDM 1/7, NSH 2/6


3 STARS

Draisaitl

Forsberg (hat-trick)

McDavid


Inúmeros fatores foram relevantes para a fatídica derrota hoje, a começar pela apatia no gelo. Os jogadores pareciam ter ido para o jogo com o nariz empinado, de certa forma, até uma soberba de nossa parte. Talvez nossos caras levaram para o gelo o retrospecto de 13 vitórias seguidas e convincentes sobre o adversário de hoje e jogaram achando que ganhariam o jogo sem jogar hockey, sem esforço, parecia estar se poupando, e Odin pune se você subestima seu adversário. Parecia que estávamos jogando juntos pela primeira vez. Mesmo com esse recorde de vitórias seguidas, não poderíamos deixar que isso subisse à cabeça, e se isso acontece, a resposta é esta, uma derrota acachapante, uma apresentação apática, um jogo pra lá de decepcionante, pois repito, o placar não traduz o jogo, os Oilers não jogaram bem para tal, nós é que realmente fomos irreconhecíveis. Não fomos para as batalhas, não fomos enérgicos, sem intensidade alguma em two-way. Veja, a forma como patinamos, isso se viu, enquanto os Oilers abusavam da velocidade e sprints, nossos jogadores apenas deslisavam, sem partir para o ataque.


Nós oferecemos 7 oportunidades de power play aos Oilers, somos especialistas do penalty box, nós gostamos muito da caixa, e apesar de ter sofrido apenas um gol em PP, elas sempre são fatores predominantes para ser derrotado. Hoje, nós conseguimos ser além nesse ponto, hoje, não só o grande numero de penalidades, fomos pura e simplesmente infantis. Indisciplina sem tamanho, penalidades que mostraram total falta de concentração e foco, totalmente sem noção ou necessidade. Nossa primeira punição, Joey fez um high sticking totalmente evitável, a disputa pela posse do puck estava a seu favor, mas deu no que deu. Bonino não precisava cometer o holding em uma lance completamente de posse dos Oilers após a disputa na borda do gelo pelo puck, Bonino poderiatser evitado mais uma demonstração de que estávamos desesperados. Agora vem Joey novamente com um high sticking completamente idiota, imbecil, inclusive longe do lance, e no meio da zona neutra o que me parece ter sido de proposito contra Draisaitl, o movimento foi feito nitidamente para acertar o jogador, como prêmio foi penalizado com double minor. Too many men é a punição mais ridícula da liga, se define literalmente em falta de atenção. Com Hartman em um tripping pra lá de infantil, aquele que crianças em iniciação ao hockey não cometem, mas Hartman estava lá para fazê-lo, em um lance que não oferecia perigo, eramos 4 defensores contra 2, e o movimento do adversário não iria dar sequencia devido a superioridade numérica de nossos jogadores na zona defensiva, um erro primário, demonstrou toda falta de foco na partida e o desespero por retomar o jogo. Já Yannick Weber seguiu seu companheiro de equipe, na mesma escala de imbecilidade. Weber não domina o puck na zona neutra e perde a posse cometendo tripping imediatamente, mas a sequência do turnover, os Oilers não teriam muito o que fazer, estávamos com 3 jogadores contra 2, outra oportunidade completamente desnecessária dada de bandeja aos Oilers sem sentindo algum.


A sensação pós jogo é de decepção pura, pois essa derrota é uma total e completa falta de vergonha na cara. Era nítido durante o jogo se ver que tudo que precisávamos era apenas jogar nosso jogo, sem nada além disso, sem se desgastar, sem ter que jogar no limite, apenas jogar nosso hockey para vencer, mas os caras não fizeram. Alguns lampejos contados nos dedos de apenas uma só mão aconteceram para nós, e foi aí que nós afastamos o adversário da nossa zona defensiva, foi assim que nós chegamos aos 3 gols de Forsberg. O Todos nossos gols aconteceram com jogadas características do nosso jogo. O primeiro tento, nasceu de um bom trabalho com o puck e Joey encontrando Filip para um um one-timer lindo, no segundo tento, recuperação na zona defensiva, transição em alta velocidade, passes objetivos, Joey e mais um passe no melhor estilo Joey de ser, inteligente, preciso, visão e fundo da rede com Forsberg. O terceiro gol foi mais uma bela troca de passes até encontrar Filip livre na slot para um snipe shoot indefensável.


Me sinto muito mal por Juuse Saros que não teve culpa alguma, pois hoje ele não teve um time à sua frente, não teve apoio algum defensivo, e mesmo assim, sem ele isso poderia ter sido ainda pior.


Os Oilers vieram com uma proposta e estratégia diferente para nos enfrentar, e isso pegou nossos caras de surpresa. Edmonton exerceu um forecheck extremamente agressivo, uma marcação alta, diferente dos jogos anteriores. Muita movimentação na zona ofensiva, confundindo nossa marcação, velocidade e troca de passes. P.K. Subban na minha opinião é o melhor jogador da liga diante de McDavid. Subban colocou McDavid no bolso nas partidas anteriores, fazendo um trabalho diferente em relação à qualquer outro jogador da liga, hoje não foi diferente, apesar dele ter anotado um gol espetacular, ele não foi problema, entretanto com uma postura diferente dos Oilers e a apatia da nossa parte resultaram nesse desastre inaceitável, diante todas essas circunstancias citadas, mesmo quando estivemos na zona ofensiva, não houve organização, parecia nem haver uma estratégia, íamos na base do cada um por si, sem uma comunicação.


Só digo apenas que não vencemos pois simplesmente não estávamos afim de jogar.


Laviolette: "Neste momento, Filip está jogando em um nível muito alto. Você tem que dar crédito a seus dois companheiros de linha também. Ryan Johansen está fazendo algumas jogadas maravilhosas. Viktor Arvidsson é o motor que faz isso acontecer. Todos os três estão jogando em alto nível, mas Filip, para mim, nos últimos dois jogos, provavelmente, tem perto de 25 tentativas na rede. Quando ele dispara um disco como esse, ele vai para o fundo da rede. Ele apenas tem que continuar a lançá-lo. "


Ekholm: "É sempre frustrante perder em nosso próprio território. Devemos sempre esperar vencer aqui. Acho que devemos considerar positivo o fato de estarmos lutando ... Nunca desistimos, estivemos lá durante todo o jogo. Estamos realmente trabalhando muito e tentando fazer o certo, mas às vezes isso simplesmente não acontece para nós, e esta noite foi uma daquelas noites ".


Roman Josi: "Este grupo tem muito orgulho em jogar bem, e algumas noites você joga bem e você não vai ganhar, mas acho que há muitas coisas que poderíamos ter feito melhor. Nós poderíamos ter defendido muito melhor na frente do Juuse e não fizemos isso. Os caras têm muito orgulho disso, e não estamos felizes com o resultado e com a forma como defendemos."


Forsberg: "Estamos jogando hóquei suficiente para vencer, mas ao mesmo tempo estamos fazendo muitas penalidades. Vamos nos reagrupar no final de semana e voltar terça-feira e estar prontos para ir."


Highlights:

Preds volta ao gelo terça-feira dia 30/11 às 21h (Brasília) em Nashville na Bridgestone Arena para receber Vegas Golden Knights

8 visualizações
  • Twitter ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social

Siga-nos

Torne-se um fã

© 2018 Nashville Predators Brasil