Preds Estréia Em Casa Com Derrota


Faltou agressividade defensiva aos Preds (Foto: Jonh Russel/via Getty Images)

Tivemos a cerimônia de apresentação para a temporada, começando pelo front office e nosso GM David Poile, o Milwaukee Admirals também se fez presente com o GM Scott Nichol, depois a apresentação do elenco e por fim erguemos os banners.


FORWARDS

Forsberg-Johansen-Arvidsson

Fiala-Turris-Smith

Järnkrok-Bonino-Hartman

Rinaldo-Sissons-Gaudreau


DEFENSEMEN

Josi-Ellis

Ekholm-Subban

Bitetto-Weber


GOALIES

Rinne

Saros

Mal começamos o jogo, e P.K. Subban vai para jaula por um tripping e já vamos para o penalty kill logo cedo. Matamos a penalidade sem problema. Havia muita disputa em cada jogada, os dois times buscando o puck, mas poucas finalizações, os Flames eram mais velozes tiveram mais perigo com Pekka fazendo duas grandes defesas. Fomos nos encontrando e já dominamos as ações defensivas na zona neutra diminuindo a intensidade dos Flames. Ekholm vai para jaula por hooking e Elias Lindholm abre o placar, 1-0 Flames. Não conseguimos manter a zona neutra sob domínio e novamente os Flames entram na nossa defesa. Pekka garantia que o resultado maior e o período se encerrou com 8-7 Flames shoots, mas nitidamente nossas chances não levaram muito pedido para Mike Smith.

No segundo período, tivemos um bom primeiro shift mas os Flames voltaram às ações até que num erro de Subban gerou breakaway, cometemos uma penalidade, o juiz apitou e o puck entrou. Como na NHL não importa o que aconteça depois do apito, o que vale é o que é marcado. Não foi gol e fomos para o penalty kill sofremos mais um gol de power play, Monahan dessa vez, ampliando para os visitantes. Roman Josi rouba bem o puck sendo agressivo, coisa que faltou na hora de defender na partida dessa noite, passa para o Sissons que atira e não marca, na sequência Smith faz grande defesa. Pekka em seguida faz boa sequência de defesas. Tkachuk e Stone cometem trupping simultâneo e vamos à 2 minutos de 5-on-3 power play. Flames se segura com Mike Smith defendendo tudo, nossa melhor chance foi um disparo da slot de Ellis. Certamente havia ansiedade nesta hora, ninguém fez um power forward na frente do Smith, os jogadores espalhados trocando passes e nada. Smith ia garantindo o shut out dos Flames, e já havia feito 16 defesas com 12 minutos de período jogados. Seguimos pressionando e Smith parando tudo até Backlund cometer hooking e ir para o penalty box e passarmos em branco novamente. O período se encerra com Mike Smith sendo o nome do jogo até então, foram 21-9 Preds shoots no segundo período.

Flames resolveu evitar qualquer tentativa dos Preds de continuar incendiando o jogo quando Monahan no primeiro tiro anota o terceiro dos Flames. O período teve chances para os dois lados, Smith sendo a grande estrela da noite. Lindholm vai para a jaula por cross checking. Perdemos mais uma oportunidade de power play que está lembrando o mês de Março da última temporada quando fomos o pior da liga. Foram mais 15 disparos ao gol e Mike Smith negou todos e nesta noite e passamos em branco graças à grande atuação do goleiro canadense.

Mais três banners na Bridgestone Arena (Foto: Jonh Rusell/via Getty Images)

Existem aqueles jogos que você registra no final 40 ou mais tiros à gol e muito deles sem relevância ou algum perigo, não foi o que ocorreu nesta noite. Nosso ataque conseguiu uma boa produção na zona ofensiva, claro que está longe do que estamos acostumados, mas não foi tão ruim como se pensa. Nós registramos ao todo 43 tiros, e Mike Smith teve muito, mas muito trabalho. Sim, foram defesas difíceis e que certamente 3 deles no mínimo poderia ter cruzado a linha do gol. Mas existem noites como essas no caminho e nós temos que passar por ela.

Sofremos com as penalidades, nada novo para nós. Nós sofremos mais 80% dos gols em PK com um jogador da matança de penalidade na jaula. Nos gols de hoje não foram diferentes. Fomos a equipe mais indisciplinada com certa discrepância para as outras. Nas ultimas 5 temporadas nenhuma equipe que atingiu pelo menos 80% PK sofreu tantos gols desvantagem. Eu não quero levantar aqui sobre o caso Austin Watson, não vem ao caso e nem vale a pena, mas você pode falar o que quiser dele. Ele nos fará muita falta em todos aspectos possíveis e principalmente no penalty kill. Sua ausência foi nitidamente sentida no special teams. Watson é um dos, se não, o melhor jogador nosso quando se trata em matar penalidades. Além de ter feito seu career-high em todas estatísticas na última temporada, Watson reduziu consideravelmente suas penalidades. Dos nossos jogadores do PK, ele teve menor PIM.