Predators Conquistam a Divisão Central, e agora?

Atualizado: 9 de Abr de 2019


É chegada a hora da verdade, onde o filho chora e a mãe não vê. Infelizmente para todo Predador, a insegurança é um sentimento predominante e a primeira rodada nos reserva o Dallas Stars. Será que seremos capazes de nos manter 200% focados e não oscilar na pós temporada? Somos dependentes da JOFA line, Peter Laviolette ainda não encontrou a formação ideal com as novas caras. Mesmo em meio à toda oscilação, os Predators foram campeões da Divisão Central pela segunda temporada consecutiva, e agora, o que esperar?


Tivemos um grande início e tínhamos tudo para fazer outra grande temporada, mas Dezembro chegou e inúmeras lesões tiraram o sono do nosso treinador. As ausências de Forsberg, Arvidsson, Turris, Bonino e Subban nos causou uma queda e isso nos custou uma boa quantidade de pontos. Não tivemos problemas quanto a defesa, não aumentou nossa média de gols sofridos por jogo, tanto que terminamos como a terceira melhor defesa da liga, nossa defesa é forte mesmo quando perdemos alguma peça, o problema é não sermos capazes de capitalizar, o que só confirma nossa dependência da JOFA line. Eram 27 jogos e 18 vitórias até então. A partir daí a oscilação começou a fazer parte do dia-a-dia, muitas alterações na disposição para cada jogo e o máximo que conseguimos foi emendar 3 vitórias seguidas por apenas 5 vezes.


Em 6 de fevereiro enviamos uma escolha de segundo round de 2019 por Brian Boyle do New Jersey Devils. Boyle tem características que precisávamos, um cara forte fisicamente, que aguenta o tranco e faz grande papel à frente dos goleiros e bom trabalho de borda. O ponto é que uma escolha de 2º round foi um valor alto para um cara de 33 anos. No mesmo dia trouxemos de volta a aberração Cody McLeod para fúria deste que vos fala; por uma escolha de sétimo round de 2020. Ao menos tem sido healthy scratch.


Nós sempre temos que dar graças por ter um GM como David Poile, ou, como sempre digo "Genuíno GM". Sabemos da sua inteligência, não a toa está conosco desde sempre, e nossa confiança nele é enorme, sempre surpreendendo. O que ele fez nessa Trade Deadline foi simplesmente espetacular, trazendo Mikael Granlund por Kevin Fiala numa troca pau-a-pau. Dizem que Minnesota Wild aceitou o negócio devido à discrepância nos respectivos salários. No apagar das luzes eis mais uma façanha quando Poile trouxe Wayne Simmonds por Ryan Hartman e uma escolha de quarto round do Draft de 2020 (podendo se tornar de terceiro round, caso os Preds avancem uma rodada nos Playoffs).


Brian Boyle é um jogador experiente, com história de superação e além de tudo pode ajudar no penalty kill. Ele tem se apresentado melhor quando atua pela ala, Laviolette percebeu isso. Mikael Granlund dispensa comentários, é um jogador pronto e com cancha para os playoffs, ao contrário de Kevin Fiala. Embora eu goste bastante dele, Granlund vem de duas temporadas pontuando acima dos 60 pontos, já Kevin, cometendo erros primários de patinação, domínio de puck e arremates. Wayne Simmonds é um jogar chato, muito bom na borda do gelo, trabalha bem à frente do goleiro, características de enforcer. Simmonds e Granlund chegando sobem muito o patamar da equipe e todos eles trazem bagagem que precisávamos para os Playoffs.


Todas as caras novas precisam melhorar, não só eles, a equipe como um todo, nosso treinador precisa encontrar a formação ideal e extrair o máximo deles. Peter Laviolette tem um grande trabalho em mãos, equilibrar as linhas, tornar a equipe consistente, o que realmente nunca aconteceu ao longo da temporada a não ser pelo bom início. Nos últimos 14 jogos não o nosso head coach não repetiu as linhas nem por ao menos 2 jogos consecutivos, e isso sem dúvida afeta a química e o hockey da equipe.


Exemplo básico da oscilação dos Preds é vencer alguns confrontos "grandes" como 4-1 nos Bolts em Tampa ou recentemente 3-2 contra os Sharks em San Jose ou 3-0 contra Toronto em Nashville e perder para todos do grupo dos 10 piores colocados da liga, foi deixando pontos pelo caminho, o que quase custou o título da Divisão Central que só se confirmou na última rodada.

Há jogos em que conseguimos envolver nosso adversário, lembrando o bom hockey da última temporada regular, mas na maior parte enfrentamos dificuldades, não conseguimos jogar e por muitas vezes as coisas não acontecem por não mostrarmos força na hora de finalizar. Alguns arremates na base do desespero, tentando marcar a qualquer custo, implica nas derrotas. Sem contar nosso power play, que foi o pior da liga com apenas 12,9% de aproveitamento, pode fazer falta nos Playoffs


Precisamos agir rapidamente ou como já vimos durante os confrontos contra o Winnipeg Jets, teremos mais uma eliminação decepcionante nos playoffs. Nós não conseguimos nos impor contra os Jets, e será um adversário na pós temporada caso as equipes avancem na primeira rodada. A última derrota por 5-0 mostrou bem isso, e placar na verdade foi pouco considerando as performances das equipes.


Dante Fabbro reforça e muito bem nossa defesa, jogando ao lado de Hamhuis no terceiro par. Ele está se comportando muito bem como era de esperar, é um cara inteligente com uma excelente leitura de jogo, se posiciona bem tanto na zona ofensiva quanto na zona defensiva. Ele tem acertado hits, bloqueado tiros, disparando pro gol, como fizera muito bem em seu tempo no colegiado, e já conseguiu seu primeiro gol num belo wrist-shoot. O defensor tem um punho e tanto e um talento para ser um bom criador de jogadas e de finalização. Temos de cuidar bem dessa joia.


Ter conquistado o Título da Divisão Central pela segunda temporada consecutiva não quer dizer nada nos Playoffs. Especificamente contra os Dallas Stars, tivemos dificuldades, com o recorde 3-2-0 e duas das vitórias vieram no overtime, sofremos um shutout, ou seja, muito equilíbrio entre as equipes e nós precisamos encontrar recursos de capitalizar além da JOFA line. Viktor Arvidsson alcançou o recorde da franquia como jogador com mais gols marcados numa única temporada, registrando 34 gols em 58 jogos, uma média de 0.59 gols por jogo, a terceira melhor da temporada, atrás apenas de Ovechkin e Draisaitl. Nós sabemos o quão criativo Ryan Johansen é, e com uma visão de jogo brilhante, é combustível que abastece a nossa primeira linha, que é única capaz de vencer jogos para você. Além da primeiira linha, Craig Smith terminou como terceiro goleador da equipe com 21 gols. Vamos precisar de muito mais que isso para irmos bem nos Playoffs, e logo de cara enfrentaremos uma defesa, que, na minha opinião é muito sólida e tem força o suficiente para neutralizar nossa limitadíssima capacidade de capitalizar, e se caso avancemos no primeiro round e nosso adversário for o Winnipeg Jets não passaremos.

8 visualizações
  • Twitter ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social

Siga-nos

Torne-se um fã

© 2018 Nashville Predators Brasil