A Série Contra os Jets, Parte 1 – Um Monomotor Numa Corrida A Jato



O momento “Smash” antes da partida foi diferente nesta Semifinal da Conferência Oeste. Quando chegam os Playoffs, os Preds e sua torcida tem um momento antes das partidas na Bridgestone Arena em que nós chamamos de “Smash Car” onde os torcedores e algumas vezes o mascote do time, Gnash, pintam e caracterizam um carro de acordo com seu adversário e simplesmente esmagam o carro na pancada até não sobrar nada. Desta vez o adversário foram os Jets ou “Jatos” e era nada menos que um monomotor, um pequeno avião caracterizado para ser esmagado pelos fãs. Momento pra lá de descontraído que é tradição nos jogos de Playoffs em Nashville. Infelizmente esse seria os poucos momentos de alegria no Tennessee, pois mesmo vencendo o jogo 2, foi tensão do início ao fim nos dois primeiros jogos na Bridgestone Arena.


The Ultimate Predator, Torcedor Símbolo

JOGO 1 – 27/04, Nashville JETS 4 – 1 PREDS


Iniciamos muito bem a partida com bons shifts, inclusive da tão criticada quarta linha na série contra os Avs. Tivemos boa posse na zona ofensiva, empolgação na Arena era alta, mas a verdade é que apesar disso não demos trabalho à Hallebuyck, a defesa dos Jets se posicionavam muito bem dificultando muito nosso jogo, e na base do desespero disparos despretensiosos, totalmente inverso do que fazemos que são boas jogadas trabalhadas, transições em alta velocidade e muita movimentação na zona ofensiva, mas isso estava ausente. Já na metade do período, tínhamos 11-2 Preds shoots mas todos como eu já descrevi, muitos da blue line sem nenhum perigo para Hallebuyck. Fica complicado encontrar as redes disparando de qualquer jeito, isso tornava o trabalho defensivo dos Jets fácil e com um jogo extremamente inteligente não precisaram de muitos disparos à gol para abrir o placar. No segundo gol dos Jets Nicolaj Ehlers passou por 4 jogadores dos Predators sem nenhuma dificuldade para depois passar o puck para slot aproveitado por Stastny no rebote, 2-0 Jets. Time sem saber o que fazer com o puck na zona ofensiva cometeu turnover e Wheeler fez a transição deixou próximo à slot para fazer 3-0 Jets sem muito esforço. Enquanto isso seguíamos disparando sem pretensão.


Pekka Rinne deu lugar à Juuse Saros na volta para o terceiro período e num raro momento de boa jogada trabalhada chegamos ao nosso único gol no jogo com Fiala. O período não foi muito diferente com os Predators tentando de qualquer jeito e os Jets perfeito na neutralização e na finalização, pois mesmo com 3 disparos em todo terceiro período chegou ao quarto gol com Scheifele no empty net. Sabemos que os Preds não são eficientes do extra attacker e não tem resultado.


São inúmeras as falhas de marcação e sem dificuldades os Jets anotaram 4 tentos em 19 disparos, enquanto os Preds precisou de mais de 40 para anotar um gol. Nesse ritmo precisaríamos de mais 120 disparos no jogo para empatar. Fato é que os Jets fizeram tudo perfeito para conseguir o placar com tranquilidade. Você precisa ter controle mental ou vai dar nisso, tiros à toda custa para o gol, sem pensar ou trabalhar o puck. Ainda tem a defesa que se postou totalmente perdida no gelo. O placar não poderia ser outro, e como eu disse, os Jets tem um jogo muito inteligente, viram nosso desespero e se pouparam para o próximo jogo sabiamente. A impressão que fica é que os Jets poderiam anotar um gol no momento em que quisesse. É com essa péssima impressão que iríamos para o segundo jogo.


JOGO 2 -29/04, Nashville

JETS 4 – 5 PREDS (OT 2)


Linha do Tennessee Titans estava na Bridgestone Arena novamente neste playoffs para prestigiar nossos rapazes.


Iniciamos da melhor forma possível com Joey anotando gol com 0:27 segundos de jogo. Colocou fogo na Bridgestone Arena e parecia que ia ser a nossa noite, vencemos mas não foi bem assim. Os Jets não costumam sentir um gol tão fácil assim e veio para nossa zona defensiva tentar dar a resposta. Hendricks nos dá a primeira oportunidade de power play da noite mas os Jets matam a penalidade com facilidade. O nosso power play tem sido um horror e não foi diferente dessa vez. Sequência de penalidades e em um 4-on-4 no gelo, faceoff na nossa zona defensiva vencido pelos Jets, Byfuglien dispara da blue line, e definitivamente esquecemos dele na sequência da jogada, Roman Josi vacila